ilustração de família ( homem, mulher e bebê) olhando pela janela.
Por que a obesidade é um fator de risco para pessoas com Coronavírus?

Por que a obesidade é um fator de risco para pessoas com Coronavírus?

Doenças crônicas associadas à obesidade agravam o quadro de pacientes com Covid-19. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), pacientes com condições crônicas pré-existentes, como diabetes e hipertensão, apresentaram versões mais graves da doença causada pelo novo Coronavírus. Isso significa que a infecção se desenvolve rapidamente para a síndrome do desconforto respiratório agudo, insuficiência respiratória aguda e outras complicações.

Sabendo que a obesidade anda de mãos dadas com essas doenças crônicas, a preocupação para que ocorra o controle adequado da pressão arterial e dos níveis glicêmicos tende ser ainda maior, além dos cuidados individuais e coletivos como medidas de proteção para evitar a COVID-19 e suas complicações.

O Ministério da Saúde apontou uma nova tendência relacionada às mortes por Coronavírus: a obesidade estava mais presente nos óbitos de jovens que os de idosos.

Quando uma pessoa é considerada obesa?

O critério utilizado para avaliar e classificar o estado nutricional de uma pessoa é o Índice de Massa Corporal (IMC), de acordo com as recomendações da OMS. Esse índice é estimado entre a relação peso e altura. Sendo assim, a fórmula para o cálculo do IMC é: peso (em kg) dividido pela altura² (em metros ao quadrado). Ainda dentro desses parâmetros, uma pessoa é classificada com excesso de peso quando o IMC é igual ou superior a 25 kg/m² e classificada com obesidade quando o IMC é igual ou superior a 30 kg/m². 

Medidas de Cuidado e Prevenção

O cuidado com a alimentação adequada e saudável se faz necessária, principalmente para as pessoas que convivem com as doenças crônicas. Evitar alimentos ultraprocessados ajuda a prevenir e a atenuar a hipertensão, diabetes e obesidade.

Saiba mais:

Acesse o Seguros Unimed App e se beneficie da teleconsulta médica que é um importante recurso para a manutenção da atenção a doentes crônicos.